quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Itálita parte 2, Florenca

A idéia era parar o motorhome numa area de sosta dentro da cidade de Florenca e pernoitar em hotel. 

A viagem entre Pisa e Florenca foi bem curta, mas em Florenca rodamos quase duas horas para achar um bendito estacionamento onde o mortorhome coubesse e quando finalmente encontramos o estacionamento indicado pela informacao turística tivemos que entrar com um plano B, pois o lugar era coberto e o RV não entraria nem a pau.  

Plano B, sair da cidade. 

Seguimos as placas de “camping” e quando achávamos que iríamos encontrar um na próxima esquina, as placas sumiam. 

Pára, pergunta, segue em frente. Imaginem o clima da viagem. O que era pra ter sido um dia com uma viagem curtinha para aproveitarmos o dia em Florenca, se tornou em estresse, crianca sentada o dia todo no carro, discussoes entre o piloto e a co-piloto. Uma maravilha.

Por fim, chegamos a um camping. Aleluia !

Um dos melhores, com excelente infra estrutura, pelo menos ! Localizado na cidade de Troghi, ao sul de Florenca. De lá, no dia seguinte, a gente tomou um onibus para visitar a cidade. 

Me apaixonei pro Florenca ! A cidade é lindíssima.

Fomos primeiro a Plazza del Duomo.
A igreja é magnifica. O lado de fora é mais cheio de frufru do que o lado de dentro. Mas o domo em si tem uns arfrescos magníficos.





Pegamos carona num walk free tour. Adoro esses tours !

Para nossa sorte, Martin dormiu nas duas horas do tour, então deu para aproveitar bem.

Palazzo Strozzi : Construido como um bloco quadrado. Naquela época, era importante manter as proporcoes e usar e abusar da matemática, pois ela era perfeita, e a perfeicao era a linguagem de Deus.
3 andares, simbolizando a trinidade.
Os blocos davam aspecto de castelo, Fortaleza, algo para eles se sentirem seguros.
A família levou 14 anos para construir tudo. E  alem de utilizarem como residencia, o prédio também abrigava uma especie de hospedaria entre outras coisas. 

Naquela época  não era comum a existência de iluminacao nas ruas. Mas esse prédio tinha.
O objetivo era manter o local iluminado para espantar as pessoas bagunceiras. Assim, aqueles que tivessem algum acerto de conta para fazer (se é que vocês me entendem) o fariam no escuro e não na frente de todo mundo.

As argolas são para amarrar os cavalos.

Outro prédio que gostei foi a basilica de Santa Cruz.  
Contruída por um judeu, ele quis deixar sua assinatura com a a estrela de Davi no topo.
Quando faleceu quiseram enterrá-lo nela, mas por ser judeu e a igreja era católica, comecaram as discussões de onde enterrar o homem. Diz a “lenda” que ele foi enterrado bem na porta, metade do lado de dentro e metade pra fora.
Nessa igreja ainda estão enterrados outros famosos como Michelângelo, Galileo Galilei, Maquiavel e Rossini.
 Durante a caminhada o guia ainda nos mostrou alguns detalhes, coisas que pra mim passam desapercebidas, como por exemplo marcas de inundacoes gigantes que atingiram a cidade.


A falta de tempo e cansaco não nos permitiu visitar nenhum museu de arte (fica aqui a desculpa para voltar um dia a Florenca :-), então resolvemos visitar o Museu da História da Ciência que é bem bacana, mas só com objetos das antigas. 



Após a visita ainda passamos pela Farmácia mais antiga de Florenca. O prédio por dentro é bem bacana. A maioria dos produtos são cosmèticos e alguns fitoterápicos. 



Outros cliques da cidade ...
Ponte Vecchia



 

Nenhum comentário: