quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Itália parte 3, San Gimignano, Lecchi, Siena e Montepulciano



Dia seguinte seguimos em direcão a Siena, que fica ao sul de Florenca. 

Mas antes passamos por San Gimignano.

Que lugar pitoresco !!!! 

Tudo bem, apinhado de turistas e lojas para turistas, mas mesmo assim. Uma cidade medieval super conservada e cheia de ladeiras.
As vistas daquela região são lindas. Muitas oliveiras e vinhedos. E se tivesse chegado um pouco antes ainda pegaria o amarelo ouro das plantacoes de girassóis.







Pernoitamos no nosso primeiro Agriturismo.
Fazendas, produtoras (ou não) de azeite ou vinho, que possuem alguns apartamentos para locacão. Ficamos em Marmoraia. Lugar muito bonito e organizado.






Dia seguinte fomos até Lecchi. Lá pernoitamos num hotel (Villa Lecchi) por duas noites !!!!
Ó, um dia sem viver como ciganos. 
Fizemos nada o dia inteiro além de dormir e brincar com o Martin. O hotel parecia bem glamoroso pelas fotos do site. Mas não era. De qualquer forma, a dona era muito gentil e a comida ….aaaaah, a comida, mamma mia !!!!!





Depois de um descanso merecido, passamos por Siena.
Eu achei que seria uma mini versao de Florenca, mas não.
Siena tem ares mais medievais, e o que me chamou mais atencao foi a Praca do campo onde ocorre o tradicional Palio di Siena.
Trata-se de uma corrida de cavalos. Dos dezessete bairros participantes, apenas dez são escolhidos por sorteio. Ganha o cavalo que chegar primeiro, após três voltas ao redor da praça, mesmo que o jóquei já tenha caído.
Até aí tudo bem.
O problema é que a praca é inclinada e o piso é de tijolos. Fora que os joqueis não usam celas. No link tem algumas fotos da competicao desse ano, pra se ter uma nocão. 





Nossa penultima parade foi em Montepulciano. Produtor do melhor vinho italiano.
O centro histórico é parecido com San Gimignano, mas muito mais legal ! E eu que já tinha me apaixonado por San Gimignano…
Pernoitamos num agriturismo perto do centro, e no dia seguinte seguimos até Roma. Mas passamos o dia, com chuva e tudo, no camping for a da cidade.










A gente optou por dormir em hoteis uma vez ou outra, porque no trailer não tava dando. Pouco espaco, desconfortável.
Infelizmente não pensamos em todos os detalhes.
Na minha cabeca, era ter uma casa e cama e disposicão onde quer que fosse e alem de economizar com comida e pernoite. Mas na verdade, não.
Primeiro porque o conforto, com uma crianca pequena que mexe em tudo, passou lá longe.
Segundo, porque, pelo menos na Italia, e mais especificamente na Toscana, não avistamos nenhum lugar na beira da estrada para parar, mesmo que fosse “seguro”.
Terceiro, a comida se limitou a saladas e pasta. Dava pra fazer algo mais ousado? Dava. Mas e o tempo gasto ? E a sujeira? Como rodávamos o dia todo, a hora da janta era sempre um caos, onde tudo tinha que ser feito rápido e comido mais rápido ainda, para por o pequeno na cama. E aí pra quem já se perdeu o dia todo, ou bateu perna o dia todo, não está nos planos passar a noite pra fazer um banquete na micro cozinha.
O custo também não foi baixo . Para pernoitar nos campings cerca de 50 euros, que incluia a taxa do veículo, a taxa por adulto, eletricidade e mais taxas turísticas. O diesel também custou mais. Pois já que o motorhome é grande, consome muito mais do que um carro menor.
Ou seja, motorhome não estará em nossos planos tão cedo. Talvez quando estivermos aposentados e sem pressa pra nada :-)

Nenhum comentário: