sábado, 11 de agosto de 2012

Verão 2012 :-)

Esses dois últimos finais de semana fez tempo bom por aqui. Aleluia !!!
Acreditem ou não, ano passado foi o verão mais chuvoso de  últimos, sei lá, 100 anos, e esse ano, se não me engano choveu quase o mês inteiro de junho e julho.

E aqui, como de costume, quando o tempo está bonito, tem que aproveitar ao máximo.

Num dos dias, fomos dar uma volta de canoa.
Foi a primeira vez do Martin. Enquanto carregávamos a bicha pra água, Martinico fez a maior festa, pulou, contou e tudo mais.
Já na água ele curtiu menos. Não por causa da água, mas porque o colete salva-vidas ficava atrapalhando ele.
Demos uma voltinha e voltamos para terra firme.

Essa é a nova "cara de foto" do Martin :-)
Já hoje fomos dar uma volta de bike.
Anders comprou um "carrinho" pra por o Martin atrás pra puxar com a bike. Não sei o nome desse treco em português.
Esse modelo que compramos é bem bacana, pois pode ser usado atrás da bike, ou no inverno, com esquis no lugar das rodas e puxado amarrado a cintura. Também pode ser usado como carrinho pra levar o bebê passear. Acomoda até 2 criancas.
O banco reclina, então Martin vira uma presa fácil lá dentro pra uma boa soneca.

nessa também fez a careta hehehe



9 meses e Mallorca, Espanha.

Turtle-MArtin



Quando Martinico completou 9 meses, minha mãe estava aqui ainda.
Geralmente, enquanto eu tirava um cochilo extra na parte da manhã, os dois aprontavam.
Minha mãe estava contando com o engatinhar do pequeno. E eis que no dia de ir embora, ele resolveu dar partida e desengatar (pois até então, ele ficava de quarto, balancava pra frente e pra trás e não saia do lugar). E lá foi ele, perseguindo pela casa um globinho terrestre que ganhei de uma amigona.

Assim que vovó partiu, lá fomos nós para Mallorca, na Espanha.
Meu cunhado tem um "time share" no hotel Marriot, fino. Ele joga golf, então pra ele convém. Apesar do hotel não ficar na praia, de carro foi bem tranquilo rodar pela ilha.

No primeiro dia, me dei de presente uma bela massagem sueca. Aaaaaaah !!!
Fui informada que minha dor nas costas é por causa do desalinhamento, vamos assim dizer, da minha bacia, no pós parto, amamentacao, vai saber.

Pilhas recarregadas, e lá fomos nós curtir piscina e praia.
As praias que conhecemos são lindas. Sem onda e azuis como piscina.
Martin curtiu. Mas não gostou do gosto da água. Salgada demais, hehehe.
Callas de Mallorca

Callas de Mallorca

Callas de Mallorca

Achei o máximo esse buguinho

Aprendendo o que é um boulder

Es Trenc

Es Trenc



Bom, tem praia pra tudo quanto é gosto em Mallorca. Onde fomos era bem família, mas tem umas "farofas" tanto para o público inglês, quanto alemão, que infestam a ilha, e aparentemente, não se misturam.

Visitamos as Cavernas de Drach. Imensa.
Mas beeeeem estilão turista. Muita gente. Eles ainda tentam fazer um show de música clássica com os músicos dentro de barcos, já que a caverna tem um dos maiores lagos do mundo (comparado com outras cavernas), mas fica tudo meio forcado. De qualquer forma, a caverna é legal, mas poderiam fazer grupos menores de pessoas.


A cidade de Palma, "capital" da ilha, é muito gracinha, chique e bem arrumada. Jantamos um dia lá. Estava quente e Martin irritado de ficar sentado. Então, olhei pra calcada que me pareceu limpa, sem lixo, e soltei o outro. Quando olho, meu deus, ele parecia um morador de rua hehehe, tava preto, imundo. Praticamente não chove naquela terra, e embora a calcada nao tivesse lixo ou bituca de cigarro, estava coberta com uma poeira eterna.
Catedral de Palma de Mallorca

Oliveira de 1000 anos, em Palma
Visitamos também a cidade de Valdemossa. Estilinho medieval, bonitinha. Vale a visita pra um almoco, por exemplo. 








No mais, meu pequeno que não comia, resolveu ter apetite nessa viagem. E comeu horrores . Mamãe ficou feliz !
Além de ter aprendido a engatinhar, ele agora fica em pé também.
Levou alguns tombos no início pois caia de cabeca no chão. Agora ele cai de bunda.
O lance do momento é trepar em tudo e fuxicar nos armários da cozinha. Ah, logicamente, além de abrir e fechar TODAS as portas da casa.
Ele tá fissurado nesse movimento de abrir e fechar.
Porta, livro, folha, qualquer coisa. Até o controle remoto, ele "abre e fecha". É engracado.
Também resmunga os da-dás, ba-bás, pa-pás da vida. Ma-má, só quando tá bravo hehehe.
Fazer janta com ele solto, nao está fácil. Ele fica agarrado nas minhas pernas e quer ver o que é que estou fazendo na bancada da cozinha.

Ah, esqueci de por no post anterior sobre o trabalho, que estou trabalhando duas horas a menos por dia, pois uso o "ammefri" ou direito a amamentacao A gente pode trabalhar até duas horas reduzidas por dia, para poder continuar amamentando os pequenos. No meu trabalho, eles exigiriam um atestado dado pelo posto de saúde que comprova que ainda amamento. E segundo a lei, não tem prazo. Eu vou aproveitar  a mordomia, pelo menos até ele completar um ano :-)

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Volta ao trabalho!

Ele chegou em casa do trabalho, no fim do dia. 
Lavou o carro por dentro e por fora, para que ela o dirigisse no dia seguinte :-)

Ela limpou a casa e arrumou a bagunca, para que ele não tivesse que se preocupar com nada no dia seguinte.

Pela primeira vez em 10 meses, ela arrumou uma bolsa que não era a de fraldas para sair de casa.
Nela colocou, entre outras coisas, seu celular, cuja funcão seria somente de telefone e não brinquedo e distracão, o mesmo valeu para seus óculos escuros. 
A comida, hmmmm, era toda e só para ela.
Crachá no lugar das chupetas. 
Chave do carro no lugar de chocalho.
 
Ele já havia passado por um curso básico que incluia teoria, demostracão e algumas horas de prática.

Mas ela, ainda assim preparou um manual de sobrevivência para ele.


Ele disse que iria sair de casa no dia seguinte, e nos próximos 3 meses. Todos os dias. 
Não ficaria em casa de pijamas como ela. Iria pedalar, fazer pic-nic na floresta e outras coisas.

Ela riu e disse "ahãn, vai sim". 

Ele pareceu um pouco nervoso ao se deitar. Mas era porque ele sabia que a partir daquela noite, ela não mais levantaria no meio da madrugada pra por chupeta na boca de ninguém. Seria a sua TÃO esperada vez de ficar na cama a noite toda, sem ter que se levantar, afinal de contas, ela iria trabalhar no dia seguinte. 

E ninguém se levantou naquela noite. 

Pela primeira vez, alguém dormiu das 19h às 6 da manhã.

E ela, ficou feliz ? 

Não. 

Porque toda vez era assim. Era só eles trocarem de funcão num final de semana, para que ela pudesse descansar e recarregar as baterias, que alguém resolvia dormir também, permitindo uma noite agradável e fácil para ele, que continuava a não entender o descontentamento dela por causa dessas noites mal dormidas

Ela disse pra todo mundo que estava calma e preparada para voltar ao trabalho. 

Pela manhã, sentiu seu coracão ficar miúdo apertado lá dentro, mas se conteve e foi. Beijou o pequeno que continuou a investigar o aspirador de pó,e foi.

Embora estivesse posando de durona na frente dos colegas, ela esperou uma ligacão dele. 
Duas, três e nada. 
Checou email. 
Olhou o celular mais uma vez. Tinha sinal ? Naquela salinha, ela lembrava o sinal era ruim. Mas tinha sinal e a caixa de inbox dizia "0".

Antes de sair do trabalho, ela não resistiu e ligou pra ele. 

Mas não era pra saber se ele tinha saido de casa ou não, ou o que havia feito durante o dia com um certo alguém e se o mesmo tinha comido, evacuado, brincado, chorado, batido a cabeca tentando subir em alguma coisa, se tinha ido investigar aquele canto perigoso da lareira da sala mesmo após ouvir incansáveis ''nãos" tanto dele quanto dela, se tinha dormido, se estava vestindo calca ao invés do pijama com "pés" que era um atentado para suas tentavias frustadas de ficar em pé e caminhar apoindo-se pelas coisas, se tinha bebido água ou ido mexer na tigela de comida do gato, de novo!

Ela ligou casualmente, só para avisar que estava indo pra casa e nada mais.

Ao chegar em casa, ela encontrou um certo alguém sentadinho no tapete da sala, que abriu um sorriso do tamanho do mundo e veio engatinhando em direcao a ela. Se aconchegou em seu colo e fez aquele barulhinho que ela sabia que significava "eu estou feliz por te ver de novo" !

E ele, em seus pijamas, também veio em direcao a ela e a beijou. Disse que o dia havia sido bom, mas estava cansado e não tinha saído de casa, não no primeiro dia. 

Ela sorriu e pensou: "ahãn". 







PS: dedico esse post a todas minhas amigas mamães: Sil, Narinha, Paulinha, Juli, Pati, Mary, Cintia, Leni, Gi, Si,  que também passaram pela mesma situacao de voltar ao trabalho e muito provavelmente com os mesmos sentimentos, afinal de contas as mães só mudam de endereco, os pais de cueca e os filhos, bem os filhos só mudam as surpresas dentros das fraldas :-)