terça-feira, 26 de junho de 2012

Martin 3 meses

O mês de janeiro de 2012 passou num piscar de olhos. Mal deu tempo de retirar os enfeites de natal e terminar de comer todos os biscoitos gordos e gostosos de natal que minha sogra fez e já tive que arrumar as malas para cruzar o Atlântico.

Vovó materna, Martin e vovó paterna
Ainda com 6 semanas de vida, os bebês aqui passam com o pediatra, no posto de saúde. Na verdade a menina que nos atendeu era residente.
Ela nos recebe na sala e pede pra esperar um segundo. Abre a gaveta, revira uns papéis e retira uma folha toda amarrotada. Vira pra mim e diz "ah, eu tenho que olhar quais coisas eu tenho que checar no teu filho". Martin comeca a se remexer na mesa e ela nao consegue ouvir o coracao direito com o estetoscópio e comenta "ah, deve estar tudo certo com ele". Pergunto sobre o cascão que tem na cabeca dele (descobri depois que se chama crosta láctea, é extremamente comum nos pequenos e se elimina com oleo ou com uma solucao de ácido salicílico e um pente de tirar piolhos) e ela "ah, não sei o que é isso não". Pergunto sobre o fato dele só virar o pescoco só para um lado, a tal história do lado favorito e ela "ah, sim, é o que dizem por aí". Tá bom, ou querem mais ?

Eu ouvi direito ? querem mais ?
Com relacao a esse pescocinho, passamos com a fisioterapeuta do postinho, e ela disse que era pra colocar o bebê de barriga pra baixo pra treinar os músculos do pescoco. Não sei porque, mas aqui na Noruega eles pegam muito em cima dessa coisa de ficar de barriga pra baixo. Mas o Martin odiava e chorava. Como isso estava incomodando muito, fomos numa fisio mais especialista e ela, mandou parar com essa coisa toda. Que estava tudo errado o que a outra falou ! Ele chorava porque tinha dor e não virava o pescoco pro outro lado, pelo mesmo motivo. Tadico do Martinico. Ela passou uma série de exercícios e em 8 semanas ele tava zero bala.

Fora isso, o meu pequeno ainda teve dermatite atópica. Tá certo que a mamãe aqui estava dando banho todo dia nele e isso não se deve e nem precisa quando eles säo tão novinhos. Esse problema de pele é uma combinacao de vários fatores, incluindo o genético, por parte de pai, no caso. 
Enfim, eu ia no posto de saúde a única coisa que diziam lá era pra parar de dar banho todo dia e passar creme. Quando tudo o que eu tentei não surtiu efeito, o levamos num pediatra particular (ah, aqui, quando a crianca é atendida no sistema público de saúde a gente não desembolsa nada) e a história toda só se resolveu com cortisona a base de antibióticos. O comentário da médica foi de que, as vezes, o povo do posto de saúde não leva certas coisas a sério.

Mais uma vez, a Noruega é um país de primeiro mundo, sempre estando no topo da lista para os IDHs da vida, mas peca ainda em muitos aspectos na questão da saúde. Essa coisa do Martin ainda é bagatela, perto de outras coisas maais sérias que já vi aqui.


De qualquer forma, há ,sim, profissionais competentes aqui. O meu azar é que eu nunca os encontro de primeira. Tem que ficar em cima, pesquisar na internet, usar o bom senso e o sexto sentido.

Martin: 1 - 2 meses

Os primeiros dois meses foram os mais pesados.
A gente mal tem tempo de comer ou escovar os dentes. Eu achava que isso tudo era exagero de gente desorganizada, mas não é.
Primeiras semanas, foto com a linda luz outonal do sol
Passei vários dias vestindo meu pijama o dia todo.
O cabelo não penteava. 
Os dentes escovava antes de dormir. Dormia quando dava tempo.
Apesar de tudo eu curti muito.
Não ligava de amamentar a noite. Gostava de ficar na minha cadeira curtindo o baby no meu colo. 
As mamadas eram bem longas, cerca de 40 minutos cada. Então me pendurava no computador com algum dvd. E durante o dia no sofá, especialmente durante as épocas de pico de crescimento, onde o bebê quer mamar o tempo todo pra aumentar a producão de leite. E chora e fica frustado e chato. E a gente fica desesperada achando que acabou a comida, hehehe. Depois de um tempo eu passei a reconhecer os sinais de pico de crescimento e relaxei, mas os primeiros foram estressantes, pois eu não sabia o que estava acontecendo. 

No mais eram trocas de fralda e tetê. 
Anders ficou em casa as duas primeiras semanas e depois voltou ao trabalho. 

Já no segundo mês, Martin comecou a esbocar um sorrisinho :-) Eu não anotei todas a mudancas. Deveria. São muitas. São bobas, mas cada dia eles inventam ou aprendem alguma coisa. 

No fim de novembro a gente fez a primeira viagem. Junto com minhas duas amigas brazucas que também tiveram meninos na mesma época. 
E lá fomos nós , passar um fim de semana numa cabana. Foi extremamente legal e divertido. 
Pais e bebês são TODOS iguais, só mudam de endereco e fralda. 
Depois que vc se torna mãe: 
- o choro da crianca impregna na cabeca, você , literalmente, ouve vozes;
- você passa a comer uma refeicäo em 47 segundos;
- você fica aliviada quando o pai pega a crianca pra olhar, você acha que vai relaxar, mas ao invés, você fica preocupada se ele tá fazendo do seu jeito jeito certo;
- você segura do bebê virado pra frente e fica perguntando pro seu parceiro (a) se o bebê tá com cara de feliz ou não;
- você percebe que tudo o que você ou seu filho faz e acha estranho, é na verdade totalmente normal e natural quando compara com outras famílias na mesma situacão :-)
"Trolleymafia"


Tais pais, tais filhos :-)

Da série: "um é pouco, dois são bons e três são DEMAIS :-) "


Voltando dessa viagem fomos direto ao aeroporto buscar minha mãe. 
Ela ficou extremamente feliz e emocionada de conhecer pessoalmente o netinho. 
Foi muito bom tê-la aqui, tanto pela ajuda quanto pela companhia. 
Ela gostaria de ter vindo antes do nascimento, mas eu vetei. Anders e eu gostaríamos de estar a sós nas primeiras semanas com o nosso pequeno. Achei mais fácil enchaixar um terceiro à nossa rotina, do que criar uma rotina com uma terceira opniao. Li num livro que "é muito bom ter avós por perto, eles tem muito tempo livre e experiência. É muito ruim ter avós por perto, eles tem muito tempo livre e experiência".
Big Nexus e little Martin

Martin com 2 meses
  Aqui na Noruega, o postinho de saúde promove os encontros de mães com bebês na mesma idade, ou Barselgruppe. O objetivo é informar as mães sobre os cuidados com os bebês, tirar dúvidas e porque não dar a oportunidade de um pouco de socializacao para as mamães. Esses grupos, geralmente, se reunem para passear de carrinho ou tomar um café. Nosso primeiro encontro fora do posto foi aqui em casa. Martin é o menor e o mais novo do grupo.


Ainda em dezembro, tivemos o natal. O primeiro do nosso pequeno.
Meus sogros, um primo que estava morando em Paris e um casal de amigos com o filhote vieram para a ceia.

"meias e cueca, de novo ?!"

A neve que durou pouco nesse inverno

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Licenca maternidade na Noruega

Agora sim, um post super, mega positivo sobre a Noruega!

A licenca maternidade daqui :-)

E' um pouco complicado preencher os formularios e embora, mais 6 pessoas do seu trabalho estejam saindo de licenca maternidade quase que ao mesmo tempo que voce, ninguem tem a boa vontade de te ajudar, acreditem. Fora isso o "INSS" daqui, a "NAV" tem funcionarios tao inuteis quanto os do Brasil, infelizmente, nao generalizando, mas a coisa e' beeeeeeem parecida, na boa vontade, not!! e no desencontro de informacoes. Tem que perguntar a mesma coisa em 5 NAVs de enderecos diferentes e tirar a media.

Sorte que eu tinha duas amigas brasileiras saindo de licenca tambem e a gente trocou algumas figurinhas.

E quanto tempo e' ? Como funciona ??? Aqui vai o basico da licenca, ha' casos e casos, por ex quando os pais estudantes, ou free-lancers, etc, os calculos sao diferentes.

A mãe tem direito se trabalhou 6 dos ultimos 10 meses que antecederam o nascimento do bebê.
Se o pai tambem trabalha fica assim :

- pode-se tirar 47 semanas recebendo 100% do salario ou 57 semanas recebendo 80%.
- o governo paga um teto, mas alguns empregadores complementam ate atingir o salario total.
- dessas semanas (47 ou 57) 12 são reservadas ao pai. Se ele quiser ficar em casa mais do que 12, ele pode, mas ai' desconta da mae, ou seja, ela ficara' menos em casa.
- o pai tem mais 2 semanas de licenca, que ele tira assim que o bebe nascer pra ficar em casa ajudando a mae, ou seja, durante esse tempo ambos os pais estao em casa.
- as 3 semanas que antecedem a data prevista do nascimento, estao incluidas nessas 47 ou 57 semanas. No meu caso, como o Martin nasceu uma semana antes, todo o meu cronograma mudou em uma semana (voce tem que entregar os formularios com as datas das licencas do pai e da mae, antes do nascimento)
- os pais nao podem sair de licenca ao mesmo tempo. Nesse caso, um deles tem que usufruir das ferias.
- pode-se picotar toda a licenca, por exemplo trabalhar 50% e ficar em casa 50%, dessa forma, voce extende o periodo.
- pode-se por ate 3 anos usufruir a licenca. Por exemplo, o pai pode tirar a licenca no ano seguinte, e nao necessariamente logo apos a mae.
- pode-se pedir no traballho pra extender a licenca maternidade/paternidade sem salario. Ou seja, voce fica em casa apos as 47 ou 57 semanas, mas sem receber e sem perder o emprego.

Basicamente e' isso.
A confusao toda fica na parte entre escolher 80 ou 100%. Dependendo do salario compensa tirar 47 semanas com 100% e mais 10 semanas sem salario, o meu caso. Mas durante essas semanas sem salario, a gente perde alguns direitos trabalhistas .Entao 'e bom nao ficar doente por exemplo. Ou, nao vai contar na aposentadoria.

Se a mae nao trabalha, ela tem direito a uma ajuda unica, quando o bebe nasce. Hoje, em 2012, o valor gira em torno de 35 mil coroas, algo como 10 mil reais.

Se a mãe engravida de novo enquanto esta de licenca, ela automaticamente recebe pro proximo filho tambem, pois estar em casa cuidando do filho conta como trabalho. Inclusive tem mulher que coloca isso em CV, se for alguem que nao tem muita experiencia de trabalho fora, porque ficou em casa cuidando dos filhos.

Esses mesmos direitos valem no caso de adocao.
Se nascerem gemeos a licenca e' um pouco mais longa e o pai fica mais do que 2 semanas em casa apos o nascimento.
Curtindo meu "mammaperm" no sul da Franca !

Amamentacao e os primeiros dias

Ficamos no hospital por duas noites e três dias.
Como disse anteriormente, tive que ficar na enfermaria, e dividir quarto.
Felizmente o bebê da "vizinha" era bonzinho e o Martin era quem chorava a noite toda, de fome.
Eu não consegui amamenta-lo no peito e tinha que, literalmente, ordenhar. O que era muito frustante.
Minha colega de quarto era do Kenia, casada com um norueguês. O filhinho dela nasceu loiro e mais branco do que leite. Ela estava com sonda e não conseguia andar. O marido so' vinha a tardezinha, pois estava cacando alce na floresta. Entao ta' ne'. Mas ai do Anders se resolvesse ir correr com os cachorros e me largar no hospital o dia todo.

Na enfermaria, se você consegue andar, vai comer sozinha na area de refeicao. As enfermeiras eram bem atenciosas e boazinhas, mas com pouco tempo. Ou seja, na parte de amamentacao elas ate' tentavam, mas não podiam ficar la comigo por mais do que 10 minutos tentando ajudar.
Antes da nossa alta, o pediatra deu uma olhadinha no pequeno e nos liberou.
A unica coisa que achei "estranha" foi que em NENHUM dia alguem entrou no quarto pra limpar nada. So' tiraram o lixo do banheiro.
Arrependo-me de não ter tirado mais fotos. Tenho meia duzia so'.
E viemos pra casa :-)

Apresentamos o Martin pro Nexus que não tava nem aì pro mesmo.

O que o Martin não dormiu a noite quando estavamos no hospital, ele resolveu dormir em casa.
Era um sacrificio acordar o pequeno pra mamar. Ou ,quer dizer, pra tomar o leite que eu tirava na bombinha, no copinho.

A bombinha manual que comprei nos EUA, usei uma vez e mandei o Anders na loja comprar a eletrica. E essa virou minha vida, pendurada nessa bombinha a cada 3 horas. O bom, foi que ajudou o leite a descer, mas era extremamente cansativo.

A gente se prepara e e' preparado para gravidez e parto, mas o que vem depois 'e pouco discutido aqui. Parece que tudo vai acontecer automaticamente e naturalmente. Mas nao. E ninguem comenta. Você tem CERTEZA que todas a outras pessoas que conhecem estao amamentando seus filhos, felizes da vida, sem nenhuma dificudade. Ledo engano hehehhe.

A gente tentou de tudo. Dava o leitinho no copinho, pra ele nao fazer confusao de bico. Tirava a roupinha dele, pra ficar mais tempo acordado. Pingava meu leite em cima do peito pra ele abocanhar e mamar, molhava a boca dele com leite e tacava o coitado no peito, pra pegar no tranco. E nada.
No quarto dia fomos ao posto de saude e levei comigo um par de bicos de silicones (ultima esperanca) pra tentar com a enfermeira.

E um milagre aconteceu. O danadinho resolveu mamar, como se nada tivesse acontecido, la na frente da enfermeira. Ufaaaaaaaaaaa. Foi a primeira vez em que chorei depois que ele nasceu. Era felicidade, alivio e os hormonios do quarto dia, segundo a enfermeira .

A partir dai, ele mamava bem nos bicos de silicone e com 4 meses passou a mamar direto no peito :-)
Achei muita informacao na internet referente e amamentacao e problemas relativos, e depois conversando com amigas e conhecidas, vi que todo mundo tem problemas e eles sao bem parecidos. Aqui um post de uma super amiga, com experiencias em duas situacoes diferentes.
E no fim, algumas conseguem, outras nao. Mas aqui na Noruega, eles fazem uma mega campanha pra amamentar no peito. Ate ai, excelente, apoio. So' que eles falam e fazem de uma tal forma, que se voce nao conseguiu amamentar vai se sentir menos mae por isso.
Lembro que um dia num dos encontros de maes promovidos pelo posto de saude, eu comentei que as vezes dei mamadeira com leite nan pro Martin e a enfermeira me chamou a atencao (tipo foi grossa mesmo) dizendo que eu NAO PODERIA (oi ?!) fazer isso sem antes consulta-los.

Uma das coisas que me ajudou muito foi essa almofada de amamentacao. Voce fica parecendo um vendedor de bala em estadio, mas ela faz uma diferenca fundamental. Principalemente se o baby for pititico.



No fim tudo deu certo, mas nao foi facil. Nem legal, nem gostoso. E os primeiros dias em casa pareceram meses. Mas o lance e' não desistir e não ceder totalmente a mamadeira. Procurar informacao e ajuda 'e fundamental :-)

As bombinhas e o bico de silicone que usei sao da Medela, aprovadas ! E a mamadeira era da Dr. Browns, muito boa tambem.

Desculpem a falta de acentuacao :-(