sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Gul Jul !!

Feliz Natal pra todo mundo !!!

Essa foto foi tirada no jardim de casa, na primeira neve do ano. A fotógrafa foi minha querida amiga Laura que veio nos visitar :-) Ela precisou tirar umas 30 fotos, pois cada hora era um que olhava pra outro lado, piscava, não parava quieto, etc, etc.
Esse ano então, a gente trocou (não por vontade própria) o calor e a praia do Brasil, pela neve da Noruega.

(In)Felizmente Phoebe e Luke (SIM ! Nosso novo filho! depois conto mais sobre ele) foram passar o feriado nas montanhas e só voltam, ano que vem. Um conhecido pediu se poderia usá-los no feriado e como a gente não iria a lugar algum, resolvemos fazer a caridade. Com certeza, eles vão se divertir e passear bastante. Emprestamos com trenó e tudo.

Aqui, em dois dias caiu muita neve. Tivemos que cavocar o caminho pra fora de casa. Já que a neve tava alta e fofa, deixei o Nexus sair pra dar uma voltinha :-)

Na foto ao lado, um acessório pra usar na sola do calçado se tiver muito escorradio na rua. Ou no nosso caso, se você tiver que sair com dois cães na coleira pra passear !


Ontem, meus sogros vieram jantar em casa e nós, eu e Anders, caprichamos na ceia, que foi a seguinte:

Entrada: Scallops (não sei como chama isso em português, aliás, nunca tinha comido isso no Brasil, aqui na Europa é bem comum, caro, mas comum) com molho de manteiga e copa, purê de ervilha e uma espuminha de suco de maçã. Vinho: Branco Riesling.

Prato principal: Filé de bacalhau assado com azeite e ervas servido com molho de manteiga e um tipo de castanha, além de um purê de "jordskokk", que é uma coisa total estranha, com um sabor, hmmm nem ruim, nem bom, diria exótico, mas no purê também tinha mascarpone e oléo de trufas, além de beterrabas cozidas no forno também. Vinho: Tinto, Bourgogne francês.
Sobremesa I: Seleção de queijos (Stilton, brie, bleau d'auvergne e chèvre) com geléias e frutas secas. Vinho: Sauternes.
Sobremesa II: creme brulê. O Anders tinha, porque tinha que usar o raio da pistolinha que sai fogo hahahaha.
Os scallops são bem caros, porquê a gente usou os frescos. Mas dá pra comprar os congelados. O problema é saber descongelá-los direito. De uma outra vez que fizemos, ficou parecendo uma borracha, afe.

Enfim, a gente curte cozinhar e essas receitas a gente tirou de uma revistinha de supermercado. Pra quem mora por essas bandas, foi do ICA. Aguardamos pelas próximas vítimas, digo, convidados, pra jantar aqui em casa :-)

De presente de natal, entre outras coisas, ganhei um par de patins de patinação. Detalhe, eu não sei andar nem de patins normal e me cago nas carça de medo do patins de gelo. Hoje, sai com capacete e mais todo tipo de proteção que vocês possam imaginar. Fomos até o lago aqui perto, mas como tinha muita neve, não rolou a patinação. Também não paguei mico, pois não tinha ninguém lá pra testemunhar. Enfim, eu vou tentar aprender, mas não garanto. O outro presente que adorei, foi essa foto aqui do Nexus, impressa num quadrão. Ficou lindo. Takk, Anders !!!
Abaixo vídeo do Anders limpando a neve e do Nexus dando um rolê.

video



video

domingo, 6 de dezembro de 2009

Tailândia, continuação ...

Entre uma parafusada, uma martelada e uma corrida atrás do gato, que fugiu com um dos parafusos (você leva o dobro do tempo encaixotando ou parafusando qualquer coisa aos redores de um gato, impressinante), tirei uma pausa pra terminar o post sobre a Tailândia.

Antes de continuar contando sobre a viagem, gostaria de dizer que a Tailândia é o país mais hospitaleiro que eu já visitei, o povo é sorridente, educado, respeitador e muito acolhedor :-)

Bom, ainda no dia do passeio a ilha do senhor Bond, a gente parou pra visitar uma plantação de seringueiras. Phuket e os arredores são os maiores produtores de borracha. As árvores foram, inicialemente, trazidas do Brasil :-). É uma trabalheira do caramba coletar a borracha das árvores e as plantações, ao mesmo tempo, são imeeeensas.
Na volta, a gente parou num templo budista, que eu não me lembro o nome. Mas o interessante é que esse templo fica dentro de uma caverna, com morcego e tudo, afe. Do lado de fora, fomos recebidos por dezenas de macacos. Alguns até pendurados nas tetas das mamães macacas, muito legal. Após visitarmos o templo, Anders resolveu comprar uma penca de bananas pros macacos. Mal ele conseguiu pagar pelas bananas, já haviam roubado metade do cacho hahahaha. Os bichos são safados.
No dia seguinte nós fizemos um passeio as ilhas Similan que estão na lista "top 10" de pontos de mergulho. Eu tenho aflição de pensar em mergulhar, então fomos de snorkel mesmo. Eu achei que fossémos ter que fazer a viagem num dos long tails boat (meda!), mas no fim era um speed boat fino, com serviço de bordo e tudo.
As ilhas são fenomenais. Eu nunca vi nada igual. A visibilidade é impressionante e a sensação é de estar num aquário. A gente parou em 3 ilhas diferentes e numa delas, a gente também almoçou.
No dia seguinte a gente foi trabalhar. Sim, trabalhar !!!
Decidi que a partir de agora, toda vez que eu viajar por mais de uma semana, vou dedicar um dia (sempre que possível) ao trabalho voluntário.
Nossa estréia foi em Phuket num abrigo para cães e gatos de rua que se chama Soi Dog.
Eu dei uma lida na net antes, pra ver se não era uma furada nem nada. Mas foi uma surpresa boa.
O lugar é mega organizado e bem grande. Eles recebem de braços abertos veterinários e estudantes para operarem os animais. No nosso caso, a gente poderia fazer qualquer outra coisa e acabamos por levar uns 10 cachorros pra passear.
Mas tava um calor senegalês e a maioria desses cães (da ala que a gente pegou), são animais traumatizados, então eles dão dois passos e empacam ... No fim a gente se divertiu muito, mas nem tiramos muitas fotos.
Pra quem puder, visitem os site e façam uma doação, ou adotem um cão ou gato, virtualmente. Eles estão com um projeto de construir um abrigo permanente para os animais que não encontram novos lares. http://www.soidog.org/

Na nossa última noite, calhou de rolar uma feira de rua em Khao Lak. O tema da feira era turismo. Montaram dois palcos. Um com shows tradicionais e outro com coisas mais modernas, tipo miss Khao Lak, competição de barman, etc.
A gente jantou na feira. Tudo diferente e gostoso, com exceção de uma pimenta na minha salsinha tailandêsa que me transformou num dragão hehehe.
Num dos restaurantes da rua, havia um cartaz para uma tal de "fish massage". O Anders todo dia ameaçava pagar pela massagem, mas no fim desistia. Aí na última noite eu disse, fio, é agora ou nunca. E lá foi ele. Num tanque cheio de mini peixes, você enfia os pés, pernas e braços na água e os peixinhos comem a camada de pele morta do seu corpo .......eu não consegui ficar com dois dedos dentro dágua por 5 segundos. Dá um aflição inexplicável. Mas maridon sobreviveu hahaha.
Mais fotos, aqui e aqui.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Tailândia, parte I



Aloha !!!
Tô com o blog atrasado, tô sem tempo, tô com preguiça ...
A minha coragem fica ali escondida num canto e quando abro a porta e o vento entra, ela sai voando junto com um floco de pelo de cachorro, e aí fica dífcil encontrá-la de novo ...

Anyway, no meio das caixas e do fogãozinho de camping a gente resolveu tirar umas férias e fomos passar uma semana nas Tailândia.
Esquema pacotão de viagem, mas dessa vez não foi nenhum farofada total ilariê do naipe da Turquia.
E lá fomos nós .... na minha cabecinha, eu achei que em 6 horas a gente já estaria desembarcando no paraíso. Mas eu acho que faltei naquela aula de geografia ... 12 horas de viagem, num voô DIRETO, Oslo - Phuket. Afe. Saindo do -2C e chegando no 35C, mais umidade relativa do ar de 110%, jesuis.

O hotel, super fino. A gente extravagou no hotel, porque lá tudo é mega barato, então deu pra deixar a barraca em casa, dessa vez.
Nós achamos que fossemos ficam em Phuket mesmo, que é a maior ilha do país. Mas chegando lá, descobrimos que nosso hotel era no continente, atravessando uma ponte. Foi ótimo dessa forma, pois em Phuket tudo é mais caro e mais badalado.
Ficamos hospedados em Khao Lak. Decorar os nomes dos lugares foi um sacrifício, porque pra mim era tudo igual.

A praia de Khao Lak foi uma das mais destruídas no tsunami de 2004. Então, praticamente todos os prédios de hoteis, restaurantes e moradias são novos. Embora a lembrança do tsunami esteja em todas as placas de evacuação (uma em cada esquina), nas fotos e no museu, ninguém fica tocando no assunto. Nem locais, nem guias, nem ninguém.
O nosso tempo lá foi curto, então resolvemos não nos estressar correndo de um lado pro outro, pois o objetivo da viagem foi o "relax" e não tanto o turismo. Dessa forma sou obrigada a voltar pra lá um dia ... chato né, mas a vida é assim hihihi.


No domingo a gente fez um passeio curto: Elephant Trekking.

Foi maior legal !!! Eu nunca tinha visto um elefante de pertinho. O elefante é um animal nativo da Tailândia, domesticado e usado há anos no trabalho na floresta, pra puxar troncos de arvóres ou abrir caminhos.



Eu e Anders montamos no nosso elefante (que era uma elefanta ?!) e com nosso motorista, fomos dar um rolê na floresta. O cara vai sentado no pescoço do animal e com os pés sobre as orelhas do elefante, ele repassa os comando de direita, esquerda, rápido, devagar, etc. No final do passeio, é esperado que a gente compre uma cestinha com bananas verdes pra agradecer ao elefante. Eu achei ele o bicho fosse comer minha mão junto hehehehe. No final, quado o cestinho já estava vazio, ele ainda inspecionou bem com a tromba pra ver se eu não tava escondendo nada :-)

Os elefantes não tem a visão muito apurada, mas suas trombas servem tando de nariz, quanto lábios e braço.

Vocês sabiam ...(momento wikipédia de ser):

" tromba do elefante pode ter cerca de quarenta mil músculos individuais, o que a faz sensível o suficiente para pegar numa única folha de relva, mas ao mesmo tempo forte o suficiente para arrancar os ramos de uma árvore".


O resto do dia foi usado pra ler um livro na beira da praia ou ficar suando, literalmente, dentro da piscina ou do mar, onde a temperatura da água, segundo um local, era de 29C.
No dia seguinte a gente fez um outro passeio.
Os passeios, infelizmente, não são baratos. São a preços de turista. E nem rola pesquisar muito, pois é tudo meio que tabelado.

De qualquer forma, a gente foi visitar a ilha do James Bond (Filme: The man with the golden gun, 1974), na baia de Phang Nga. Surreal... A visita é feita num barco típico tailandês, chamado de "long tail". Trata-se de um barcão comprido com um motor de fusca, ou sei lá eu. Um barulho dos infernos.
Da água verde esmeralda da baía, saltam uns picos de pedra "limestone". Pra todo lado que você olha é um paraíso de escalada ao céu aberto. A gente levou nossas coisas pra escalar, mas não conseguimos encarar o calor, infelizmente.

Na volta, paramos em Koh Panyee (koh = ilha), uma ilha de pescadores muçulmanos. Almoçamos lá e fizemos um tour pela ilha. As moradias parecem bem precárias, tipo uma favela, mas todos vivem bem (comida + um teto pra morar). Tem até fila de espera pra se mudar pra ilha. Algumas das pessoas, nascem, crescem e morrem lá, sem nunca ter saído pra lugar algum.



Vocês sabiam ....

Thai, significa livre. A Tailândia é um país de maioria budista. Mas lá, existe pena de morte. O país nunca foi colonia de ninguém e nunca esteve em nenhuma guerra. O país é uma monarquia e fotos do rei e da rainha estão em todos os lugares de devem ser tratadas com respeito.
A maior palavra do mundo, com 163 letras, é o nome de Bangkok (capital) escrita e falada em thai. Preparados ? Aí vai ...


Krung­thep­maha­nakorn­amorn­ratana­kosin­mahintar­ayutthay­amaha­dilok­phop­noppa­ratrajathani­burirom­udom­rajaniwes­mahasat­harn­amorn­phimarn­avatarn­sathit­sakkattiya­visanukamprasit


Analisando-se parte a parte, temos:

krungthep mahanakorn: The great city of angels,

amorn rattanakosin mahintara yutthaya mahadilok phopthe: supreme unconqueralble land of great immortal divinity (Indra),

noparat rajathani buriromthe: royal capital of nine noble gems, the pleasant city,

udomrajaniwes mahasatharn: with plenty of grand royal palaces,

amorn phimarn avatarnsathitand: divine paradises for the reincarnated deity (Vishnu),

sakkatattiya visanukam prasit: given by Indra and created by the god of crafting (Visnukarma).

Continua no próximo post :-)