quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Nem tudo que reluz, é ouro !

Aloha !

Eu acho interessante bater papo com amigos que não falo a muito tempo.
Sempre rola as perguntinhas básicas do tipo, "como anda a vida por essas bandas?", "é verdade que", blá blá blá.

A gente lê notícias sobre a Noruega e a impressão que algumas pessoas têm é de que aqui todo mundo é rico e que não há problemas de ordem social, urbana, educacional, etc.

Mas tem. E muito.
Um deles (e dos grandes) é com relação a saúde.

Eu confesso: tenho medo dos médicos daqui.
Eu li muita barbaridade na net sobre a opinião de outros brasileiros com relação ao sistema de sáude norueguês. Daquelas da gente parar pra pensar se foi verdade. No fim, eu constatei na pele quando eu precisei usar do sistema.
Pra começar, o sistema é público, mas a gente paga. As consultas tem preços variados (clínico geral, especialista, psicólogo ou fisioterapeuta) podendo variar entre 40 e 100 reais. Se você acumular no ano, aproximadamente, 600 reais você (após enviar os recibos) recebe um Frikort que te libera dos pagamentos nas próximas consultas.
Os exames, também são pagos e alguns deles não te dão direito a acumular o valor gasto para receber o frikort.
Um consulta básica, no meu caso, ao gineco, teve um tempo de espera de 3 meses. Tá certo que eu não tava tendo nada, era só pra marcar um check up, mas 3 meses eu também esperaria no SUS da vida e não teria que pagar nada.
Com relação as crianças, as coisas parecem ser menos piores. Mas mesmo assim, não tá sangrando, não tem fratura exposta, não tá incosciente, vai pra casa, porque não é nada.
A minha amiga do trabalho teve que esperar 3 meses por uma consulta para o filho para verificar uma alergia. O médico era um tchongo e no fim ela teve que apelar para um particular (esses sim custam caro) para poder tratar do filho.
Ah, detalhe, aqui é praticamente inexistente o plano de saúde.
Enfim, eu ouço sempre histórias e histórias, tanto de brasileiro, quanto de noruegueses.
Lógico que há médicos bons por aqui, mas dada a proporção de habitantes, eu ouço mais histórias de fracasso do que de sucesso.

"Felizmente" as pessoas aqui são tratadas de igual pra igual. Padeiro, ator, professor, lixeiro, etc.
Digo isso com certeza pois hoje tivemos um almoço com o novo diretor do departamento.
Ele é médico e político. Não sei direito o cargo dele, mas é um dos grandões.
Ele teve um acidente semanas atrás. Escorregou na frente do prédio do dpto. Testemunhas nos disseram que foi hilário ..tadico. Ele não desgrudou do carrinho de bebê (com a filha sentada dentro) enquanto caía, ao mesmo tempo os óculos "avoaram" e a menina no carrinho foi visualiando o mundo na vertical, tudo no estilo câmera lenta, se é que vcs me entendem ...hehehe.
Bom, chamaram a ambulância que levou "apenas" 30 minutos pra chegar (isso porque Oslo tem 500 mil habitantes só) enquanto que o nego ficou estirando no chão frio.
Levaram pra emergência. Lá ele esperou por 2 horinhas só pra ser atendido.
Aí decidiram encaminhá-lo para o Rikshospitalet (Hospital Nacional). Detalhe, o depto onde eu trampo e que o nego caiu na frente fica a 100 metros do Riks ... vai vendo.
De repente alguém decide que não, que iriam levá-lo pro Ulleval (um outro hospital grande da cidade), mas no fim levaram ele pra Aker (um terceiro hospital). Chegando lá, esperou mais uma hora pra ser atendido. A essas alturas do campeonato já estava tarde e foi quando um dos enfermeiros disse que ele teria que fazer uma ressonancia magnética na perna, MAS como já era passada da hora, eles só fariam na manha seguinte. Aí o nego já puto da vida, falou que queria o raio da RM pra ontem ou que operassem ele logo de uma vez. Mas aí disseram que nao. O RM é pré-requisito para a operação e que as normas da casa são, a lista com o resultado da RM só sai pela manhã e ponto final.
Enfim, no dia seguinte operaram o cara.
Quando foi pra ele ter alta, ele perguntou sobre as roupas dele, pra poder ir embora e uma das enfermeiras vira e diz "ah, elas devem estar em algum lugar aqui, eu acho" ... Devem ? Acho ? O senhor seu diretô teve um ataque histérico. No fim, acharam a roupa dele embalada num plastico de lixo, que por sorte nao foi descartado.
Agora .. .meus companheiros e companheiras .... essa é a realidade aqui.
Quem sabe após esse epísódio o diretô não mexe algum pauzinho no governo com os coleguinhas dele.
Mas enfim, a falta de organização existe em todo canto. A Noruega não é excessão.

Só pra animar, abaixo um vídeo que o diretor usou hoje no almoço.

domingo, 13 de setembro de 2009

Pra que facilitar, se complicando fica mais emocionante

Saravá !

Usei meu primeiro ingresso, da batelada !

Sexta retrasada fomos ao teatro ! Foi uma peça a céu aberto, nas ruínas de uma igreja daqui de Oslo. Eu tava com medo de não entender patavinas, mas que nada. Foi super tranquilo.
No elenco tinha até cavalo. Eu trouxe o programa pra casa pra mostrar o nome deles (cavalos) que estava na lista hehhehe: Brede, Veundkjappen, Rudi, Stormdøla e Vindølen. Bonitinhos!
Tava chovendo. Mas aqui na Noruega há um ditado que diz "det finnes ikke dårlig vær, bare dårlig klær", traduzindo : "não há tempo ruim, só roupas ruins". Voltei pra casa com lama até nas orelhas.

Fora isso, essa semana que passou eu tive um congresso de Forense em Glasgow.
No domingo eu estava arrumando a papelada (endereço de hotel, passagens, etc), porque embarcaria na segunda a noite. O resto da turma iria embarcar na segunda cedo e como eles iriam de Ryanair (agora paga-se até pra respirar dentro das aeronaves deles) eu fiquei de levar o poster, assim eles não teriam que fazer o check in do treco e correr o risco de perdê-lo.
Bom, deixei os documentos em cima da minha cama, junto com o passaporte. Quando eu virei as costas e fui pro escritório, ouvi um barulho suspeito vindo da sala. Quando eu vim averiguar, quase tive um ataque cardíaco !!! A Phoebe tava mastigando meu passaporte !!!!!!! Ééééééé! A fia da puta entrou no quarto e o roubou de cima da cama. Ele ficou assim ó :


Bom, contei até 13429384 e aí, entrei com o plano B. Levar o poster na casa de uma das meninas. Elas que se virassem pra embarcar com ele. Plano C, iria à embaixada na segunda pedir um passaporte de emergência. MAS .... segunda foi dia 7 de setembro (eu aqui nunca lembro dos feriados brasileiros) e a embaixada estava fe-cha-da. Eu não tinha opcao de voo na terça, ou sejE. Não era pra eu ir, né.

Enfim, na terça então eu fui até a embaixada. Expliquei a situação e dei entrada no novo passaporte que só ficaria pronto na quarta. Mudei meu voo pra quarta a noite e consegui o passaporte novo como prometido e ainda tive tempo de ir na "poliça" colocar a estampa do meu visto.

Ufa. Foi dureza. Vaca de cadela.

Quando cheguei em casa ontem encontrei esse email da minha tia :-)

Oi Priscila, Sua mãe me contou do passaporte .......

A vida realmente se resume a duas perguntas...
1. Devo ter um cachorro?



OU...
2. Devo ter filhos?



As crianças, pelo menos, crescem um dia, não é ???