terça-feira, 25 de setembro de 2007

Func-func !


ÊÊÊÊÊÊÊÊ !!!! Minha buzininha chegou !!! Assim que ganhei minha bici eu pedi pra Sil me mandar uma buzina func-func daí do Brasil e ela chegou nesse sábado!!! Na verdade ela nos deu duas buzinas, uma pra mim e outra pro Anders (a dele ainda tá na caixa porque ele tem vergonha de usar :P ), dois colantinhos da bandeira do Brasil (sim, lá em Jundicity adesivo é colante tá !) e cartinhas! ADOREI tudo!!!


Fomos até o correio buscar a encomenda, pois eles não entregam caixa se a mesma não couber na caixa de cartas de casa. Eu abri o pacote lá mesmo e já sai buzinando hhehehehhe. Logicamente as bikes já estavam no carro (eu TINHA QUE usar minha buzina) e fomos dar uma pedalada na floresta.


Tudo aqui já está com cara de outono. O chão está forrado de folhas amarelas e vermelhas, os galhos estão mais secos e o tempo está nubladíssimo.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Londres - Inglaterra

Digamos que viagem sem emoção, não é viagem, não é mesmo ?!

Tudo começou quando ligaram para o Anders mudando o horário do nosso vôo, que seria antecipado umas 3 horas e por conta disso a gente desceria em outro aeroporto em Londres. Tudo bem, o Anders saiu mais cedo do trabalho, almoçamos correndo e decidimos ir para o aeroporto de carro.
Quando o Anders foi abrir a porta da garagem (o carro fica estacionado no segundo andar da garagem ...) o anelzinho que segura as chaves se rompeu e as chaves despencaram do segundo andar passando pela escada que é vazada ... pois bem, ele conseguiu resgatar uma das chaves, a que abre a porta da casa (mesmo porque a minha cópia da chave estava dentro da casa) enquanto que a chave da garagem caiu no meio do mato. Alguns minutos de desepero, e eu consegui achar a bendita chave no meio das folhas secas.
Colocamos as malas no carro e assim que chegamos numa das principais ruas de Oslo, trânsito, muito trânsito, quase parando ... bom, beleza, vamos manter a calma. Depois de muito acelerar e desacelerar chegamos ao aeroporto. Check-in e sala de espera. Perto do horário do vôo, anunciaram que o mesmo atrasaria uma hora. 60 minutos até que passaram rápido. Entramos no avião. E lógico .... um tiozinho tinha o mesmo assento que o meu, chamamos a aeromoça que resolveu a situação colocando o tio em outro lugar.
O avião aterrissou em Heathrow. "Estacionou". E quem disse que os caras conseguiam encaixar aquela passarela na porta dianteira do avião pra gente descer, heim ?! A aeromoça anunciou, gente estamos com problemas. Aí os caras decidiram colocar uma escada manual na porta traseira. E a aeromoça anunciou, gente vamos descer pela porta traseira, e nesse momento todo mundo girou 180 graus. Eu via os gorditos do lado de fora tentando encaixar o raio da escada no avião, empurra pra lá, empurra pra cá e nada ... Bom, aí a aeromoça, já rindo (sim, ela tava dando risada, tipo, era rir para não chorar) anunciou novamente, gente parece que agora vamos descer pela porta dianteira, eles conseguiram encaixar a passarela. hehehee bom. Vocês acham que parou por aí ?! Nãaaaaaaaaaaaaao.
Ao chegarmos na imigração, parecia que a Índia e China inteira estavam lá. E eu, não sendo membro da UE tive que pegar a mesma fila, ou melhor seguir o bolo de gente que estava lá. Parecia a conexão de trem vindo de Francisco Morato as 6 horas da manhã, desembarcando na Luz. DUAS HORAS de fila, num calor insuportável, até eu conseguir o carimbo no meu passaporte. Aí veio a preocupação ... nossas malas. Após duas horas de fila, sabe-se lá onde elas estavam. Ao entrar na sala das esteiras (milhares de esteiras) vimos várias montanhas de malas por tudo quanto era canto, aí eu pensei, pronto, "toca" a gente vasculhar cada pilha. Mas Murphy resolveu dar uma trégüa e encontramos nossas malinhas na esteira, rodopiando lá, sozinhas e felizes.

No dia seguinte fizemos um tour guiado pela Torre de Londres que foi sensacional. Os beefeaters, como são conhecidos, são extremamente divertidos e moram dentro da Torre e trabalham como guias.
Andamos por tudo quanto foi lugar, Palácio de Buckingham (onde, infelizmente a rainha teve que desmarcar nosso chá das 5, surgiu um compromisso de última hora e a véia me deu o cano), Picaddilly Circus e depois fomos até Covent Garden. Local cheio de lojas e restaurantes e muitos, muitos artistas de rua.
No domingo, fomos até Leigh-on-sea, onde mora a Tia do Anders. Fomos convidados para um almoço e a mãe do Anders também estava lá, visitando a irmã. A cidade é uma gracinha e fica a beira do mar. A tia dele nos buscou na estação de trem e antes de irmos para a casa dela, ela deu uma volta pela cidade pra eu conhecer. A casa dela, logicamente, não fugia ao estilo inglês, só faltando ter carpete no teto. Vieram também para o almoço, a filha dela com o marido e duas crianças. Foi uma tarde super agradável.

A noite tentamos nos encontrar com uma amiga minha que está morando em Londres e trabalhando num bar. Mas justo naquela noite estava rolando um festival onde fica o tal do bar e foi praticamente impossível entrar. Atravessamos um mar de gente freak, mas não deu para entrar no bar. Sendo assim, jantamos num dos milhares de restaurantes indianos localizado na rua ao lado.

Na segunda-feira, fui conhecer o local onde o Anders estudou e visitamos o Science Museum. Lembrei-me do dia em que fui com a Sil no museu de Ciências da USP e parecíamos duas crianças fuxicando em tudo. Dessa vez, aqui, não foi diferente. E à noite fomos jantar com a Samantha.
No dia seguinte o Anders tinha uma reunião de trabalho, então fui andar sozinha. Fui ao Tate Modern (muito legal) e depois fui até o Madame Tussaud, o famoso museu de cera. Eu dei muita risada. As celebridades parecem de verdade e o mais divertido era ver o povo tirando fotos com as figuras. Pena que eu estava sozinha e não consegui fotos muito legais, mas valeu mesmo assim.
Encontrei-me com o Anders à tarde e antes de irmos para o aeroporto, demos uma passada na China Town. Impressionate como, dobrar a esquina e você está numa mini China. Tudo escrito em chinês, pessoas chinesas falando em chinês, e quem não é chinês tem uma máquina fotográfica na mão, assim como eu tinha.
E nessa mesma tarde regressamos para Oslo, felizes e cansados.
mais fotos aqui:

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Milão - Itália


Nossa última parada foi em Milão.

Milão é uma cidade grande e repleta de grifes. Ao chegar no posto de informações turísticas (aqui sim, pelo menos, as pessoas foram bem solícitas) a mulher nos disse que os hotéis estavam lotados, devido ao grande número de congressos e eventos acontecendo ao mesmo tempo. Telefonamos para uns 5 lugares e apenas um havia vaga e ficava ao lado da estação de trem. Para nós era até melhor ficar mais perto da estação do que do centro, mesmo porque no centro custaria bem mais. Guardamos nossas coisas e fomos até o centro, até a piazza. A catedral

é magnífica e gigantesca. Tiramos algumas fotos e fomos andar pelas galerias de lojas. A Rua Oscar Freire fica no chinelo, coitada. Dentro das lojas, muitas mulheres árabes com seus cabelos e corpos, e as vezes até o rostos, cobertos, se viravam para carregar tanta sacola. E se não eram árabes, eram chinesas ou koreanas. A impressão que eu tenho é que essas são as pessoas com a bufunfa no momento.

No dia seguinte fomos visitar um castelo e o museu de ciências, praticamente dedicado ao Leonardo da Vinci. Mas antes, passamos por uma loja para ver e comprar queijos, salames e presunto, mas pensamos, bom, vamos deixar isso para fazer por último, assim não temos que carregar peso ....

Visitamos o castelo, mas não entramos nos museus e em seguida gastamos boas horas dentro do museu de ciências, que além das exposições também tinha várias oficinas, especialmente para as crianças.

Muito bem, na volta fomos sendentos para a loja ....mas .... o comércio na Itália fecha para o almoço, almoooooço .... ou seja, até às 14h no máximo ...mas enfim, eram 3 horas da tarde e a loja estava fechada ! FE-CHA-DA !!!! Tadinho do Anders, quase teve um infarto. E infelizmente não pudemos esperar por mais tempo devido ao horário do nosso vôo. Enfim, compramos um pedaço de presunto no aeroporto, mas definitivamente, não foi a mesma coisa.


mais fotos aqui:
http://prikoh.multiply.com/photos/album/53

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Veneza - Itália



Chegamos em Veneza na segunda-feira à tarde. Fomos de trem. A viagem é rápida e chegando na estação fomos procurar acomodação. Já sabíamos de antemão que a hospedagem lá custa caro. Achamos um hotel mais ou menos (mais para menos do que para mais) por 70 euros, sem café da manhã. Bom, por uma noite só, foi esse mesmo. Guardamos as coisas e fomos andar pela cidade até chegar na Piazza San Marco.

Gente, Veneza estava entupida. Parecia uma mistura de 25 de março com Aparecida de Norte no dia 12 de Outubro !!! Não dava nem para andar de mãos dadas. Impossível. Conseguimos, após muita "luta" corporal, chegar à Piazza. E valeu a pena. Ela é linda, com exceção ao exagerado número de turistas e esse mesmo número elevado ao quadrado de pombas. Argh. Visitamos a Catedral e o Palácio Ducale. Demos mais umas voltinhas pelas ruas e fomos atrás de informação para o Festival de Filmes de Veneza. E lógico, ou você pergunta tudo de uma vez, ou volta no setor de info turísticas umas 4 vezes, assim como o Anders fez hehehheh, porque logicamente eles só vão informar exatamente o que você perguntou e supor que você sabe o resto das coisas, tipo como chegar ao festival, de que modo, etc.

Bom, após pegar a fila umas 4 vezes a gente reuniu informações necessárias para chegar até Lido, uma ilha vizinha a Veneza. Fomos de vaporeto e chegando na ilha tomamos um ônibus até o local do Festival. Assistimos ao filme "The Darjeeling Limited" do diretor Wes Anderson, MUITO BOM e engraçado !! O filme é composto por 2 filmes, um introdutório (que você assiste e não entende nada ...) e um segundo filme, que é o principal (aí sim, o primeiro faz sentido). 3 irmãos atravessam um pedaço da Índia em busca da mãe que vive lá.

No dia seguinte fomos até Murano, uma outra ilha. Minha mãe tinha me pedido qualquer coisa feita com o cristal, vidro de Murano. E nada melhor do que ir até a própria ilha comprar o raio do cristal. Comprei um colar para mim, uns copos coloridos e um presente para a Petunia. E na mesma tarde desse dia seguimo para Milão !
mais fotos aqui:

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Verona - Itália

Nossa primeira parada foi em Milão e de lá partimos para Verona de trem. A viagem durou cerca de 1,5 hora e foi bem tranqüila. Chegamos em Verona bem tarde e ficamos hospedados numa residência estudantil. Lugar limpo e tranquilo, mas o quarto tinha mais cara de quarto de hospital do que outra coisa ... de repente até foi um hospital algum dia, sei lá ...poderia ter umas cores melhores no quarto, ao invés de parede metade branca, metade azul e o teto marrom escuro ...
Anyway, fomos explorar a cidade na manhã seguinte. A cidade estava cheia de turistas, além do festival de ópera, a cidade possui muitas outras atrações turísticas, tais como a Casa de Julieta (segundo o guia turístico, o segundo ponto mais visitado de toda Itália) que é interessante, mas não é lá aquelas coisas ... nada de especial. No portão há diversos cadeados com nome de casais, e nas paredes, colados com chiclete, diversos bilhetes de amor.


Bom, o que a gente fez pela manhã foi dar uma volta pelo centro histórico e pegar alguns mapas e informações no posto de info turísticas ... bom, eu diria que na Itália eles respondem ao que você pergunta e só, a resposta varia entre sim, não e não sei. Tipo, a gente viu diversos grupos com guias passeando pela cidade (e até pegamos umas caronas com eles), mas estavamos pegando as coisas pela metade, então decidimos ir atrás de um guia para fazer o circuito completo. Chegando no posto de informações vimos um aviso dizendo "Visitas guiadas, diariamente as 11:30h" e isso já era por volta da 13h. Bom, fomos confirmar com a mulher do atendimento se havia mais alguma outra saída:
- Olá, essa é a única saída com guia durante o dia ???
- Não.
- ................................................... (ficamos esperando ela dizer, não tem mais outra, outras, milhares de saídas durante o dia, nos horários, tal e tal ....., mas nada). .......................e, que horas é a próxima ?
- A próxima é as 17:30.
- Obrigado.

Ou, vimos uma movimentação dentro de um prédio grande e bonito, e quando entramos vimos umas estátuas egípcias, etc, pensamos, bom deve ser algum museu sei lá ... aí o segurança barrou a gente, e eu perguntei "isso aqui é um museu? ", e ele ..."não" .... mas também não disse o que era ... óbvio. Saímos de lá sem saber.
Ou, procurando por um bendito cartão de Verona 24h (que té dá direito a visitar diversos pontos turísticos por 24 horas pagando uma tarifa única) que é vendido em qualquer Tabacaria ou em qualquer dos pontos turísticos, recebemos a resposta .. "oi, vocês tem o cartão 24h ?
", "não" ...."e onde a gente encontra?" ... "não sei". Não sabe ?! vocês vivem do turismo gente !! Enfim, cada país com sua cultura hehehe.
No fim do dia fizemos o passeio com o guia, somente eu e o Anders, não tinha mais ninguém para ir conosco e foi mais legal assim. Passamos primeiro pela Arena (onde a noite voltamos para ver a ópera Aida, simplesmente magnífica, super produção, assim que se apagaram as luzes todo mundo tinha uma velinha acesa nas mãos, super bonito ...) que antigamente era palco de leões comendo presos e o povo aplaudindo. As mulheres não tinham direito de se sentar na arena, somente no ultimo andar havia um espaço, para que, em pé, elas assistissem ao espetáculo.

Depois seguimos para a a praça principal onde ele mostrou uns prédios com uns afrescos bem interessantes (mas que não consegui fotografar, porque estavam distantes e desbotados), em seguida vimos outras coisas tais como a praça com a estátua de Dante, tumbas de gente importante da cidade, a casa de Romeu, etc. Na verdade Romeu e Julieta nunca existiram, mas a família deles sim, e eram de Verona e logicamente eram rivais.

A cidade possui diversas ruínas romanas e um museu arqueológico repleto delas. A gente visitou o museu no dia seguinte. A construção do prédio é bem interessante e cheio de paredes "originais". Após a época romana a cidade passou pelos séculos medievais e dessa época, sim ainda existe muita coisa preservada.
Fora isso a cidade é repleta de ruas super estreitas com prédios de 5 andares, bem próximos uns aos outros e a cidade é cortada por um rio. Caminhar por essas ruas é andar no tempo ....


As calçadas são, em sua maioria, feitas de mármore rosa, típico da região. E procurando por uma comida típica, o guia nos sugeriu uma das Osterias da cidade (espécie de pub-bar-tratoria-restaurante). Lá degustamos, além de excelentes vinhos, um prato feito com carne de cavalo desfiada e cozida no vinho com polenta. Muito saboroso. Além do garçom ser uma simpatia as mesas eram coletivas, ou seja, conforme foram chegando os demais clientes, eles se sentavam nas mesas com outras pessoas. O Anders ficou meio com inveja da mesa ao lado da nossa, pois havia um senhorzinho muitíssimo simpático lá, conversando com todo mundo, enquanto que na nossa mesa, sentou-se um casal de italianos que só disseram oi e tchau. E se tivéssemos ficado na cidade por mais alguns dias, a gente voltaria lá, pois o Anders amou o lugar (repetiu isso umas quinze vezes hehehehe), além é claro, de ter tido espasmos orgasmáticos a cada vitrine de queijo, presunto, vinho ou ternos italianos. Um dos objetivos da viagem era trazer vários queijos e vinhos locais ...mas isso eu contarei mais tarde ...

Partimos de lá na segunda-feira e seguimos para Veneza !!!

mais fotos aqui: http://prikoh.multiply.com/photos/album/51

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

De volta !

Voltamos ontem a noite (mas por pouco a tempo ... amanhã vamos para Londres e voltamos na semana que vem ..) !!!

A viagem foi ótima, tempo excelente, comida boa, ótimas e longas caminhadas por tudo quanto é canto ... vou colocar os posts, depois, sobre cada cidade.

Ao chegar em casa, encontrei o postal de um amigo na nossa caixa de correio :-). Muito obrigada, Guille !!! Foi ótimo encontrar um pouco de calor de Belém aqui no, praticamente, outono norueguês !!!